Secretaria de Saúde

Centro de Atenção Psicosocial - CAPS
INTRODUÇÃO

O tratamento das doenças mentais tem sido um desafio para o poder público, para as famílias dos pacientes e para a sociedade em geral. Se, antes, acreditava-se que a internação era a melhor forma de procurar a cura da doença, hoje se prioriza o tratamento sem que o paciente seja tirado do convívio social.

É nesta mudança de paradigma que surgiram os Centros de Atenção Psicossocial (Caps). Eles fazem o atendimento à população, realizam o acompanhamento clínico e promovem a reinserção social dos usuários pelo acesso ao trabalho, lazer, exercício dos direitos civis e fortalecimento dos laços familiares e comunitários. Essas sãos as metas do Caps I de Videira.

Este documento conta a história do Caps e mostra suas atividades para solicitar aos profissionais e autoridades que atuam junto à Justiça de Videira melhorias estruturais que possam ajudar no tratamento dos pacientes e, assim, cumprir sua função social.

MAIS DE 900 PACIENTES POR MÊS

O CAPS de Videira foi inaugurado em 28 de fevereiro de 2008. Apesar da insegurança que fazia parte da equipe, havia uma grande vontade de aprender e fazer com que o espaço fizesse a diferença em saúde mental.

No começo, passou a atender as pessoas que sofriam de transtornos mentais severos e persistentes. Mas, aos poucos, foi ampliando os serviços, inclusive com atendimento para usuários de álcool e drogas. Conforme levantamento realizado em janeiro de 2013, estavam cadastrados no Caps 918 pacientes.

COMO FUNCIONA

O Caps, atualmente, atende de segunda à sexta-feira, entre 8h e 12h e 13he 17h. As atividades são distribuídas em grupos conforme a patologia e a gravidade da doença. É realizado atendimento multiprofissonial, com médico psiquiatra, clínico geral, enfermeira, assistente social, psicóloga e técnico de enfermagem, além de ter apoio de professora de trabalhos manuais e artesanato, cozinheira, ajudante de serviços gerais, motorista e vigilante.

Os pacientes são incluídos no Caps após uma avaliação da equipe muliprofissional. São inseridos em grupos intensivos, para pacientes que necessitem de atendimento diário; semi-intensivo, para pacientes que deverão freqüentar os grupos três vezes por semana; e não-intensivos, para os pacientes que serão atendidos quinzenalmente ou mensalmente.

O CAPS atende também em domicilio, com visitas e procedimentos de enfermagem para aqueles pacientes debilitados que não conseguem se deslocar até o local.

Os objetivos do CAPS são prevenir novas internações psiquiátricas, reduzir os sintomas das doenças mentais através da farmacologia, grupos terapêuticos, atendimentos individuais e também apoiando os familiares para conhecer os sinais e sintomas da doença mental de cada paciente e aprender a conviver com a doença. Reduzir o estigma de ¨louco¨ que cerca as pessoas portadoras de doenças mentais é outro objetivo fundamental.

O Caps tem como objetivo também propiciar espaço adequado para tratamento em saúde mental, resguardando os direitos à promoção do bem-estar físico e psicossocial dos usuários. As melhorias solicitadas neste projeto, portanto, são fundamentais para atender a este quesito.

A FUNÇÃO DOS GRUPOS

O Caps também faz atendimentos em grupos: nas terças e quintas-feiras pela manhã atende a cerca de 30 pacientes; nas segundas, terças, quintas e sextas-feiras, à tarde, aproximadamente 35;nas quartas-feiras à tarde, com um grupo de 10 pessoas, além de consultas com o psiquiatra. Nas segundas e quintas-feiras são efetuadas consultas com o clínico geral para os pacientes usuários de álcool e ou drogas e programa de tabagismo.

Cada paciente passa por pelo menos um profissional de saúde mental, é acolhido e participa de várias atividades, como oficinas de trabalhos manuais, jogos e terapia de grupo. Quando chegam, pela manhã, são recebidos com café da manha. À tarde, também recebem lanche.

Em datas especiais, são realizados eventos com o objetivo de integrar os pacientes. Já foram feitos bailes de carnaval, com confecções de máscaras, festa junina, onde o ambiente é decorado pelos próprios pacientes, e confraternização de natal. Também são realizados passeios, tais como uma visita à Cidade Criança, onde foi feito um piquenique, com varias brincadeira. Outro passeio foi realizado para ver a decoração de Páscoa na Praça de Videira.

TRANSPORTE

O CAPS também possui transporte para todos os pacientes. Eles esperam a condução num local previamente combinado, em um ponto próximo de suas residências. Alguns que apresentam maior dificuldade motora são pegos nas suas próprias casas.

NOVAS FUNÇÕES E desde agosto de 2010 passou a atender os usuários de álcool e drogas (Grupo AD), além de fornecer o espaço para o programa SOS Vida, também voltado para usuários de álcool e drogas. Estes pacientes também têm direito a consultas.

O grupo AD tem encontros semanais todas as sextas-feiras à tarde. Os usuários e suas famílias são atendidos sempre que manifestarem necessidade. Os pacientes são encaminhados para internação quando houver indicação médica. Porém, voltam para fazer acompanhamento no Caps para evitar recaídas. O grupo SOS Vida promove encontros todas as quartas-feiras à noite, às 19h30min.

No CAPS também são atendidos os pacientes ostomizados de Videira, ou seja, pessoas que precisam de bolsas para substituir a função do intestino. A enfermeira Eloni Maria Frighetto, coordenadora do Caps, prepara o processo para que os pacientes recebam da Secretaria de Saúde do Estado de Santa Catarina as bolsas de colostomia. O material é fornecido pelo Estado e a Secretaria Municipal de Videira disponibiliza os profissionais para o atendimento.Os pacientes recebem atendimento domiciliar quando necessário.

Atualmente fazem parte do programa 18 pacientes ostomizados, alguns com duração definitiva do estoma e outros com duração temporária, os quais recebem bolsas, e demais materiais conforme a prescrição médica e após a avaliação da enfermeira.

TABAGISMO

Outro programa é o voltado para o combate ao tabagismo, que também passou a funcionar no CAPS em 2010. As pessoas que desejam parar de fumar precisam se inscrever através do telefone (49) 3533-5700. Quando a quantidade de pacientes atingir um número pré-determinado pelo Ministério da Saúde, são formados grupos de 20 a 25 pessoas.

Os tabagistas serão entrevistados pela psicóloga e,depois, entram no grupo. Funciona com quatro encontros, um por semana. No último todos passam por uma consulta médica que determinará a necessidade dos fumantes usarem ou não adesivos e/ou medicação. Se não pararem de fumar em um período estipulado, podem participar novamente do grupo.

O CAPS começou pequeno e tem melhorado suas atividades. Mostra, a cada dia, que faz a diferença em problemas que afligem a humanidade. Buscando cada vez ser melhor.

Contato:
Endereço: Rua Prefeito Cezar Augusto Filho, Loteamento Vinhedo do Velho Antonio.
Telefone: (49) 3533- 5700

Links úteis